EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Na segunda-feira (6), o presidente norte-americano Donald Trump assinou uma ordem executiva que reforça o apoio internacional à mineração da Lua e de outros corpos do sistema solar.

O documento assinado reforça as esperanças da Nasa de um dia escavar a Lua em busca de água, que pode ajudar a estabelecer presença na superfície lunar por prazos mais longos após a missão Artemis, que tem previsão de acontecer em 2024.

publicidade

A assinatura também promove a flexibilização de regras para que outras empresas possam se interessar por um dia explorar a Lua ou outros corpos do sistema solar para obter recursos próprios.

Reprodução

Termos do acordo

A ordem executiva prevê que o Departamento de Estado dos EUA possa encontrar parceiros internacionais que estejam interessados em colaborar com o país na criação de “operações sustentáveis” relacionadas ao uso comercial de recursos espaciais.

O documento assinado amplia a posição política dos EUA em relação a outro acordo, assinado no ano passado com Luxemburgo. Também foi reafirmado o compromisso com o Tratado do Espaço Exterior das Nações Unidas, datado de 1967, que impede nações de reivindicar corpos celestes, mas não proíbe empresas e países de usarem quaisquer recursos que obtiverem no espaço.

publicidade

Mesmo com a assinatura do documento para minerar a Lua, ainda não se sabe quanta água existe abaixo de sua superfície e nem de que forma ela está. Para resolver isso, o rover Lunar Viper, na Nasa, que deve decolar em 2023, tem como objetivo realizar o mapeamento desse material antes da chegada da missão Artemis um ano depois.

Via: Axios