Atualmente, a previsão das mortes em decorrência do novo coronavírus nos EUA beira os 60 mil – isso em cerca de quatro meses. No entanto, esse cenário poderia ser um pouco diferente, se o governo tivesse agido rapidamente.

De acordo com os epidemiologistas Britta Jewell, da Imperial College London, e Nicholas Jewell, da London High School of Hygiene and Tropical Medicine, se o governo americano decretasse o isolamento social duas semanas antes do período em que foi anunciado, esse número poderia ser reduzido em 90%.

publicidade

Caso a antecipação fosse de uma semana ao invés de duas, o número de óbitos chegaria a 23 mil – 60% a menos do que as previsões atuais. “Qualquer que seja o número final de mortes nos Estados Unidos, o custo da espera será enorme. Uma consequência trágica da propagação exponencial do vírus no início da epidemia”, escreveram os médicos em um artigo publicado no The New York Times.

Reprodução

Eles não são os únicos a concordar com isso. Anthony Fauci, chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, disse que era “óbvio” que o governo poderia ter salvo vidas agindo mais cedo.

Agora que não há mais como resolver a questão, os epidemiologistas argumentam que as pessoas precisam permanecer vigilantes. “É importante entender que os bloqueios não são uma solução para o vírus, mas eles nos dão tempo para nos prepararmos melhor para novas ondas de infecção e para desenvolver tratamentos e vacinas”, finalizam.

Via: Futurism