A Universidade de Oxford, na Inglaterra, criou um índice para comparar as respostas de governos de diferentes países à pandemia do novo coronavírus. A ferramenta estabelece uma pontuação de 0 a 100 de acordo com o número de medidas de combate ao surto mundial da doença.

O sistema é baseado em 13 parâmetros. Eles são relacionados com práticas de isolamento social, investimentos em recursos de saúde, políticas econômicas e ações de comunicação. Os indicadores consideram, por exemplo, ordens de fechamento de escolas, fechamento de locais de trabalhos e a capacidade de realizar testes.

publicidade

O Brasil contabiliza cerca de 77 pontos, segundo a plataforma oficial da Universidade de Oxford. O país está acima dos Estados Unidos (67) e do Reino Unido (71), mas fica abaixo de outras nações como Itália, Espanha e Argentina, todas com 95 pontos.

Reprodução

A pontuação brasileira leva em conta as determinações de estados e municípios sobre o cancelamento de eventos públicos, o fechamento de escolas, o fechamento de locais de trabalho, a restrição de circulação dos habitantes, bem como a limitação do funcionamento do transporte público. A base de dados do projeto cita, por exemplo, o decreto de quarentena no estado de São Paulo.

Em âmbito federal, o índice aponta o investimento em pesquisas de vacinas e medicamentos, assim como a aquisição de testes de diagnóstico da Covid-19. Ainda são contabilizados recursos informativos sobre a doença, como o aplicativo oficial do Ministério da Saúde. Além disso, considera incentivos fiscais do Governo, como a linha de crédito de R$ 3,4 bilhões oferecida a empresas para mitigar os impactos econômicos da pandemia.

A plataforma da Universidade ainda permite comparar a evolução dos índices de cada país conforme o número de casos confirmados do novo coronavírus. Em 13 de março, o Brasil registrava cerca 100 pacientes infectados e 47 pontos no ranking. No dia 20 do mesmo mês, já eram quase 1000 casos confirmados e 76 pontos no índice de resposta à Covid-19.

Reprodução

A China, por outro lado, chegou a apresentar 76 pontos em primeiro de março, mas diante da queda da transmissão local, no fim do mês, o país passou a flexibilizar gradualmente as medidas de combate ao coronavírus. Por isso, atualmente, a nação asiática apresenta apenas 43 pontos.

Para consultar a ferramenta da Universidade de Oxford acesse o site do projeto.