Nesta quarta-feira (22), o governo de São Paulo divulgou que há uma previsão do estado ter até 3,2 mil mortes por coronavírus dentro de duas semanas, ou seja, em 3 de maio, quando a pandemia deve atingir seu pico no Brasil.

Se a estimativa estiver certa, o número triplicará, visto que os dados atuais apontam para 1.093 casos fatais em São Paulo. “Nós esperamos, com a eficiência das nossas terapias, manter um número mais baixo [de mortes]”, disse José Henrique Germann, secretário estadual de Saúde.

publicidade

David Uip, infectologista coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 e recuperado da doença, afirmou que o isolamento social tem dado certo no estado, contribuindo para taxas de infecção menores do que no restante do Brasil e em outros países. “São Paulo conseguiu achatar a curva, não temos mais dúvida”, declarou Uip.

Reprodução

Segundo Germann, 74% dos leitos de UTIs da Grande São Paulo estão ocupados. Contudo, a disponibilidade é maior no interior do estado. No total, em todo estado de São Paulo, o índice de leitos ocupados é de 53%.

Além disso, Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan e responsável pela rede de laboratórios que fornece testes gratuitos para verificar contaminados pelo coronavírus, alegou que a fila de espera para a análise dos exames foi zerada hoje (22) com a chegada de kits vindos Coreia do Sul. Vale lembrar, no entanto, que apenas pacientes sintomáticos são submetidos ao teste.

 

Via: Estadão