Pacientes que previamente foram considerados como curados da Covid-19 e que apresentaram sinais de retorno da doença são muito menos infecciosos do que no primeiro contágio. É o que afirmaram autoridades de saúde da Coreia do Sul nesta quarta-feira (22).

O Korea Centers for Disease Control (KCDC) acompanha 180 casos de pacientes que tiveram resultado negativo para a presença do vírus Sars-Cov-2 após apresentar a doença, mas que em testes posteriores voltaram a ter resultado positivo. Ainda não se sabe o motivo para o retorno do vírus.

publicidade

Dentre as hipóteses, estão testes falhos (com falso negativo no primeiro teste), uma reação do teste a partículas do vírus presentes no organismo dos pacientes, ressurgimento do vírus latente no organismo ou mesmo reinfecção, um cenário muito mais preocupante.

Diagnóstico da Covid-19

O diagnóstico inicial da Covid-19 na Coreia do Sul é feito com um teste de reação em cadeia da polimerase (PCR). Mas os casos de reinfecção estão sendo investigados com um teste muito mais preciso, e demorado, que envolve a cultura do vírus. Neste caso, os resultados demoram mais de duas semanas para ficarem prontos.

Reprodução

Dos 39 testes de cultura em andamento, apenas seis foram concluídos. Mas segundo Jeong Eun-kyeong, diretor do KCDC, eles tiveram resultado negativo. O que significa que o vírus, embora presente no organismo dos pacientes, é pouco ou não infeccioso.

No total, a Coreia do Sul teve 10.694 casos da doença, com 238 mortes. O número de novos casos vem caindo em um ritmo constante, e nos últimos cinco dias tem sido, em média, de 10 novos casos diários.

Fonte: Reuters