EnglishPortugueseSpanish

Os robôs são aliados da humanidade em diversos cenários, e na saúde, não é exceção. Durante a pandemia do coronavírus, quando o contato com infectados deve ser reduzido, as máquinas estão sendo utilizadas para diminuir o risco de contaminação dos profissionais da saúde. No Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul aderiram à tecnologia.

O Double, por exemplo, está sendo usado no Hospital das Clínicas (HC), em São Paulo, para fazer a triagem dos pacientes. Uma enfermeira controla e se comunica com o robô à distância e identifica possíveis sintomas respiratórios, sem se expor. O Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, no Rio de Janeiro, e o Mão de Deus e o Moinho de Vento, em Porto Alegre, também possuem os seus Doubles.

publicidade

O robô basicamente é um tablet sobre rodas, podendo ser controlado por um computador ou até mesmo um smartphone. Além disso, conta com microfones, sensores de presença e alto falante, com autonomia de 10 horas. “É como se o médico pudesse ter a mobilidade que teria no hospital, mas sem estar fisicamente presente”, destacou Melina Yasuda, executiva-chefe da Pluginbot, startup responsável pelo robô no HC.

Confira no vídeo como a novidade atua:

Outra vantagem da máquina em meio à pandemia, é permitir que o paciente seja visitado por parentes, de maneira remota. 

“Conseguimos trazer para dentro do hospital gente com muita experiência e médicos internacionais”, destaca o médico Luciano Eifler, diretor da empresa de soluções de saúde ConceptMed.

Via: Uol