EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Uma das maiores dificuldades para a colonização espacial é a moradia. Como humanos podem habitar um ambiente completamente diferente do nosso, como a Lua? Com isso em mente, uma equipe de engenheiros está desenvolvendo assentamentos lunares inteligentes, que se adaptam a eventuais riscos.

Esses habitats inteligentes usam robôs para reparar os danos estruturais sem colocar os seres humanos em perigo, e se adaptam autonomamente a eventuais ameaças, como abalos sísmicos e queda de meteoritos, tornando a colonização da Lua mais segura.

publicidade

Os engenheiros da Purdue University, nos Estados Unidos, usam uma mistura de testes reais e virtuais para analisar diferentes projetos. Suas simulações percorrem uma vastidão de designs para avaliar qual seria o melhor habitat para cada tipo de perigo. Além disso, os modelos em escala reduzida podem garantir que todos os vários sensores do assentamento funcionem como deveriam.

Reprodução

Foto: Futurism

“Eventualmente, queremos desenvolver habitats inteligentes que possam responder a mudanças, danos e qualquer coisa que possa dar errado durante uma missão e ainda manter a integridade e a segurança da ciência”, explicou a pesquisadora Shirley Dyke em comunicado à imprensa.

publicidade

Um dos principais objetivos de Dyke e sua equipe é reduzir a participação humana no processo de colonização. A automatização visa tanto a proteção dos colonos quanto a garantia de que as instalações não se deteriorem assim que ficarem vazias.

“Ao incorporar recursos inteligentes ao design, podemos ter sensores ativos para monitorar caso ocorra uma violação, determinar o impacto dessa violação, qual o tamanho e decidir o que fazer”, continuou a pesquisadora. “Os robôs poderiam vir, recuperar e reparar a estrutura”.

Via: Futurism