EnglishPortugueseSpanish

De acordo com uma análise feita por cientistas chineses, publicada na revista científica New England of Medicine, a associação dos medicamentos lopinavir e ritonavir, ambos frequentemente utilizados no combate ao HIV, não é eficaz contra o coronavírus.

“Concluindo, descobrimos que o tratamento não acelerou significativamente a melhora clínica, reduziu a mortalidade ou diminuiu a detectabilidade do RNA viral em pacientes com Covid-19 grave. Esses dados iniciais devem ajudar estudos futuros a avaliar esse e outros medicamentos no tratamento da infecção pelo novo coronavírus”, explicaram os autores da pesquisa.

publicidade

Em casos de pacientes com HIV, a combinação das drogas impede a ação da enzima responsável por criar os conjuntos de aminoácidos que o vírus utiliza para se multiplicar e, quanto ao coronavírus, a intenção era entender se o lopinavir e o ritonavir seriam capazes de atuar da mesma forma.

Reprodução

Combinação retroviral contra HIV não é eficaz contra coronavírus. Imagem: NIAID/Flickr

Para o estudo, os cientistas fizeram um experimento randomizado controlado, ou seja, um grupo de pacientes com características semelhantes – neste caso, em estado grave da Covid-19 – foi escolhido aleatoriamente. Dos 199 selecionados, 60,3% eram homens e a idade média era de 58 anos.

Os pacientes foram divididos em dois grupos: 99 receberam lopinavir com ritonavir duas vezes por dia durante 14 dias, enquanto os 100 restantes não fizeram uso da combinação. O resultado? Como publicado pelo grupo de cientistas, os infectados medicados com a associação das drogas retrovirais próprias para o HIV, não melhoraram com mais rapidez ou morreram menos do que os pacientes que obtiveram um tratamento padrão.

Além disso, o tratamento com lopinavir e ritonavir teve que ser interrompido precocemente em 13 dos 99 pacientes devido a eventos adversos. Problemas gastrointestinais também foram mais comuns nos infectados que receberam a combinação retroviral.

 

Via: Uol