EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O estado de São Paulo registrou nesta quinta-feira (28) um recorde de novos casos de Covid-19. Foram 6.382 casos em 24 horas, quase 56% a mais do que o recorde anterior, de 4.092 casos, registrado em 15 de março. Também foram registradas 268 mortes, levando o total no estado para 6.980 desde o início da pandemia.

O recorde vem um dia depois do governador João Doria anunciar regras para flexibilização da quarentena, que foi mantida até 15 de junho, na capital e em cidades do interior. O estado foi dividido em cinco “zonas” de risco, determinadas de acordo com a evolução da doença e capacidade hospitalar, tanto na rede pública quanto privada.

publicidade

As medidas não são automáticas, e dependem de aprovação das administrações municipais.

Retomada Consciente

O planos para retomada das atividades, batizado de “Retomada Consciente”, foi definido conforme critérios como a taxa de ocupação de UTIs, o total de leitos hospitalares por 100 mil habitantes e dados epidemiológicos de mortes e infecções pelo novo coronavírus.

“Ela [a retomada de atividades] será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras”, afirmou Doria em coletiva de imprensa.

Reprodução

publicidade

Indicadores de fases de reabertura no programa Retomada Consciente. Imagem: Reprodução

A Fase 1 (vermelha) impõe o rigor máximo de medidas de distanciamento social. Municípios enquadrados nessa categoria podem manter o funcionamento apenas de serviços essenciais.

A Fase 2 (Laranja) é a primeira etapa de afrouxamento. Os prefeitos poderão determinar a abertura de concessionárias, atividades imobiliárias, escritórios, comércio varejista e shoppings. As atividades ainda devem seguir algumas restrições e protocolos de segurança. Shoppings, por exemplo, serão obrigados a adotar ações para evitar aglomerações.

A Fase 3 (amarela) flexibiliza restrições para imobiliárias e escritórios enquanto autoriza a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza. A Fase 4 (verde) libera o funcionamento de academias. Já a Fase 5 (azul) permite a retomada de todos os setores da economia, incluindo serviços e eventos que geram aglomerações, como cinemas e teatros, desde que sejam respeitados protocolos de higiene e distanciamento social.

Os indicadores serão reavaliados a cada semana e as regiões poderão progredir ou regredir de fase a cada 15 dias.

Em mapa publicado pelo governo, a cidade de São Paulo foi enquadrada na fase 2 (Laranja). Isso significa que a partir do dia 1º de junho, o prefeito Bruno Covas pode dar início à regulamentação da abertura de shoppings, escritórios e comércios, seguindo as devidas restrições.

Nenhuma região do estado foi classificada nas fases 4 e 5. Já a Baixada Santista, a Grande São Paulo e a região de Registro ainda se encontram na primeira fase e, portanto, manterão as medidas máximas de isolamento social.

Fonte: O Globo