EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A cidade chinesa de Wuhan, onde surgiu a pandemia do novo coronavírus, testou quase 10 milhões de pessoas durante 19 dias – de 14 de maio a 1º de junho – em uma campanha para verificar possíveis novas infecções. Se as provas anteriores foram incluídas, praticamente todos os maiores de cinco anos na cidade foram testados.

Dos 9,9 milhões de participantes, apenas 300 testaram positivo para a Covid-19, mas todos sem sintomas. A cidade não encontrou infecções entre 1.174 pessoas que tiveram contato com os assintomáticos, sugerindo que eles não disseminavam facilmente o vírus para outras pessoas.

publicidade

“Isso não apenas deixa as pessoas de Wuhan à vontade, mas também aumenta a confiança das pessoas em toda a China”, disse Feng Zijian, vice-diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, à emissora estatal CCTV.

No entanto, ainda não há uma resposta definitiva sobre o nível de risco apresentado por casos assintomáticos. Estudos feitos até o momento sobre a disseminação da doença por pessoas que não apresentam sintomas geram respostas conflitantes.

Reprodução

Cidade de Wuhan, onde surgiu a pandemia do novo coronavírus. Foto: risemeagain©

publicidade

Campanha de testes

A campanha foi lançada depois que um pequeno grupo de casos foi encontrado em um complexo residencial, o que gerou preocupação sobre uma possível segunda onda de infecções, quando Wuhan encerrou o bloqueio de dois meses e meio.

A cidade industrial no rio Yangtze, no centro da China, gastou 900 milhões de yuans (cerca de US$ 125 milhões) nos testes. Recursos nacionais também foram mobilizados para ajudar. Segundo Wang Weihua, vice-diretor da Comissão de Saúde de Wuhan, juntos, esses esforços aumentaram a capacidade diária de testes na cidade de 300 mil para mais de um milhão.

Via: AP News