EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Desde que a pandemia de Covid-19 se espalhou, a busca pela origem do vírus responsável pela doença tem sido muito intensa. Agora, uma nova pesquisa internacional analisou a relação entre o coronavírus e os morcegos.

No estudo, foram analisadas as sequências genéticas de 781 vírus da mesma família do Sars-Cov-2, muitos ainda não descritos na literatura. Com os resultados, os pesquisadores apontam que a principal hipótese é que o novo coronavírus seja derivado de um grupo de vírus com origem nos morcegos-ferradura, com um índice de 96,2% de semelhança entre eles.

publicidade

Apesar de não conseguirem confirmar a origem do Sars-Cov-2, os pesquisadores descobriram que existe uma troca genética maior entre a família Rhinolophidae, principalmente no gênero Rhinolophus. Segundo Peter Daszak, autor do estudo, “parece que, por pura má sorte filogeográfica, histórica e evolutiva, os Rhinolophus acabam sendo o principal reservatório de coronavírus relacionados à Sars (Sindrome Respiratória Aguda Grave)”.

Reprodução

Pesquisadores encontram em morcego vírus com índice de semelhança de 96,2% com o Sars-Cov-2. Foto: Visual Science/Reprodução

Juntamente com Shi Zheng-Li, especialista em morcegos pelo Instituto de Virologia de Wuhan e que também assinou o estudo publicado na revista Science, Daszk publicou, em outubro de 2013, um artigo que já tratava do assunto.

publicidade

Desta forma, a hipótese de origem natural, e em morcegos, para o novo coronavírus ganha ainda mais força. Esta pode ser uma descoberta importante para entender e, consequentemente, encontrar uma cura para a Covid-19.

Via: G1