EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A adoção do regime de lockdown (fechamento total) na Europa foi muito eficaz para reduzir o número de casos e mortes decorrentes da Covid-19. Segundo cálculos de pesquisadores do Imperial College de Londres, a ação ajudou a prevenir 3,1 milhões de óbitos na região até o início de maio. Os dados foram apresentados nesta semana em um artigo publicado na revista Nature.

Limitar estritamente os movimentos das pessoas e impor o distanciamento social também diminuiu em 81% o número de pessoas infectadas por outras que já tinham a doença. Já o número de reprodução R, que determina o potencial de propagação de um vírus dentro de determinadas condições, caiu de 3,8 para menos de 1 em todos os 11 países europeus estudados, incluindo Alemanha, França, Espanha, Reino Unido e Itália.

publicidade

A equipe combinou dados sobre as mortes causadas pelo novo coronavírus em cada um dos países para definir a quantidade de transmissões da doença em semanas, até o dia 4 de maio. A estimativa é que entre 12 milhões e 15 milhões de pessoas foram infectadas até a data, com quase 130 mil mortes. 

Reprodução

publicidade

Pandemia do coronavírus na Itália. Foto: EPA

Em resumo, os dados evidenciam que os bloqueios na Europa funcionaram. Medidas como distanciamento social, ficar em casa e evitar ver familiares e amigos têm sido eficazes para reduzir a transmissão do vírus e, assim, salvar um grande número de vidas. 

No entanto, o fato de um número relativamente pequeno de pessoas na Europa ter tido o vírus – e ainda não se sabe se isso garantiu imunidade às pessoas que se recuperaram – sugere que não será possível suspender completamente o lockdown por muito tempo.