EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um site polonês chamado PimEyes está oferecendo um serviço controverso: busca por imagens na web baseada em uma ferramenta de reconhecimento facial. Funciona de forma simples: o usuário envia uma foto com o rosto da pessoa que procura e o site retorna uma lista de fotos e sites onde a pessoa aparece, mesmo em fotos diferentes.

É diferente da busca de imagens do Google, que procura por outras cópias da mesma imagem, ou imagens com características semelhantes, mas sem levar em conta dos dados faciais de uma pessoa. O site é capaz de encontrar fotos em sites publicamente acessíveis, como o Tumblr, YouTube, blogs do WordPress e sites de notícias, mas não em redes sociais fechadas, como o Instagram ou o Facebook.

publicidade

Segundo a desenvolvedora, a ferramenta foi criada para proteger a privacidade de seus usuários e impedir o uso indevido de imagens. Mas não é difícil imaginar que também poderia ser usada para invadir a privacidade de uma pessoa, encontrando fotos de lugares com quem ela frequenta ou pessoas com quem se relaciona.

Buscas básicas são gratuitas, mas os resultados mostram só as fotos encontradas, sem dizer em quais sites elas estão. Para ter essa informação é necessário assinar um plano pago. Por R$ 75 mensais assinantes podem configurar “alertas” para quando novas fotos de uma pessoa surgirem, e recebem “suporte técnico completo”. Forças policiais podem contratar planos especiais capazes de fazer buscas na “deep web”.

A empresa também oferece a desenvolvedores acesso a seu banco de imagens, com preços definidos de acordo com a quantidade de buscas feitas em um mês. Uma parceira é a Paliscope que produz software para forças policiais que promete fazer reconhecimento facial em imagens dentro de documentos ou em vídeos.

Fonte: OneZero

publicidade