De acordo com pesquisadores da Awake Security, um ataque de spyware teve como alvo 32 milhões de downloads de extensões diretamente da loja dedicada no Google Chrome. Enquanto o usuário navegava com os componentes ativos, o computador era conectado a sites da empresa israelense Galcomm. Era por esse caminho que as informações pessoais eram transmitidas.

Com base no número de downloads das extensões, é possível afirmar que esse foi o ataque de maior alcance à Chrome Store até o momento. Cerca de 70 extensões estavam infectadas, mas o Google informa que elas já foram retiradas da loja.

publicidade