EnglishPortugueseSpanish

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira (22) que o sistema de pagamentos instantâneos PIX será gratuito para pessoas físicas e permitirá saques por meio de lojas de redes varejistas.

Em reunião virtual do Fórum de Pagamentos Instantâneos, Neto disse que o detalhamento da estrutura de saques será divulgado no próximo encontro do comitê, previsto para agosto.

publicidade

“O que posso adiantar é que essa facilidade visa a trazer mais eficiência, por meio da reutilização do dinheiro no varejo e do aproveitamento dessa rede, e fomentar a competição, ampliando as opções e a capilaridade das instituições para ofertarem o saque. Além disso, tem potencial de reduzir ainda mais o custo logístico e operacional com a distribuição de numerário”, destacou o presidente do Banco Central.

De acordo com Neto, diretrizes sobre o tarifação do serviço já foram apresentadas na última reunião do fórum e o Banco Central está em “via de divulgar formalmente as definições”. Ele antecipou, no entanto, que haverá gratuidade para pessoas físicas, “de forma a possibilitar a igualdade de condições a outros meios de pagamentos”.

Segundo o presidente do Banco Central, o baixo custo para o consumidor é uma questão central do PIX, uma vez a iniciativa busca um meio de pagamento acessível para quem paga e para quem recebe.

“Confio que as instituições participantes vão desenvolver modelos de negócio, estratégias interessantes e economicamente atrativas, ofertando o PIX a empresas, de modo a refletir o baixo custo e agregar serviços que gerem valor para os clientes”, afirmou.

O PIX

O PIX promete transações seguras com período de liquidação de poucos segundos, sem restrições de datas ou horários. A plataforma ainda vai incluir soluções de pagamentos por QR Code e permitirá que usuários façam operações informando apenas dados simples do recebedor, como e-mail, número de celular e CPF ou CNPJ. A expectativa é que o sistema comece a operar a partir de novembro deste ano.

Na semana passada, o Banco Central anunciou que mais de 980 instituições financeiras já solicitaram a adesão ao PIX – bancos e fintechs com mais de 500 mil contas são obrigados a participar da modalidade. Deste total, 120 empresas configuram participantes diretos, ou seja, possuem contas próprias dentro do sistema e podem fornecer sua estrutura para empresas terceiras. As outras 860 correspondem a participantes indiretos e precisam de uma companhia intermediadora para prestar o serviço a seus clientes.