O Zoom perdeu a própria data limite que estabeleceu para publicar um relatório de transparência, detalhando quantos pedidos por dados sobre seus usuários recebeu de governos.

Em 12 de junho a empresa publicou em seu blog um artigo sobre a suspensão das contas de três ativistas pró-democracia na China, feita a pedido do governo chinês. Dois destes ativistas são residentes dos EUA.

publicidade

Além de detalhar os erros que cometeu, o artigo lista ações que a empresa pretende tomar para que o episódio não se repita no futuro. Entre elas estava, originalmente, a promessa de publicar um relatório de transparência até 30 de junho.

Entretanto, o texto do artigo foi editado nesta quarta-feira (1), e agora menciona que os dados relativos ao segundo trimestre fiscal (Q2) deste ano serão publicados “mais tarde”, ainda neste ano, sem definir uma data.

A publicação de um relatório de transparência não é obrigatória, mas seria uma forma de melhorar a reputação da empresa, abalada por escândalos envolvendo mentiras sobre o uso de criptografia, seu número de usuários e exposição de gravações de chamadas, entre outros.

Fonte: TechCrunch