O leilão de frequências para a implantação de redes 5G no Brasil foi adiado para o primeiro semestre de 2021. Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a pandemia impediu a finalização dos testes de campo. Essas análises são necessárias para garantir que não haverá interferência da tecnologia em outros serviços.

Faria argumenta que o governo e a Anatel precisam coletar informações para a tomada de decisão sobre o tema. Na última semana de junho, Leonardo Euler, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações dava como certo que o leilão não seria realizado em 2020. Isso porque o teste de convivência da faixa de 3,5 GHz em 5G com serviços de TV parabólica ainda não foram concluídos.

publicidade