EnglishPortugueseSpanish

Em dezembro de 2019, a Boeing tentou enviar sua espaçonave CST-100 Starliner para a Estação Espacial Internacional (ISS). Porém, a sonda falhou e a missão não foi concluída. Agora, com a conclusão de uma longa investigação, a Nasa fez uma lista com 80 recomendações para a Boeing.

A principal delas é a realização de testes de hardware de voo antes de cada lançamento. Além disso, uma das principais causas levantadas foi a ausência de um teste mais longo simulando todo o processo. Em vez disso, a Boeing dividiu seus testes em pedaços menores. Com isso, não foi descoberto que o tempo de computador da nave estava mal calibrado, impedindo que os propulsores da Starliner disparassem e enviassem o foguete para a órbita correta.

publicidade

Outra falha da Boeing foi não testar o software em relação ao módulo de serviço. A empresa usou um emulador defeituoso e não descobriu um defeito crítico que poderia levar à “perda de veículo”. Segundo o portal Nasa Spaceflight, o gerente do Programa de Tripulação Comercial da Nasa, Steve Stich, determinou que a agência não era capaz de dar supervisão suficiente à Boeing.

ReproduçãoStarliner tinha como missão chegar à Estação Espacial Internacional. Foto: Reprodução

Embora não tenha listado todas as 80 recomendações, a Nasa enumerou as mais importantes, como corrigir eventuais lacunas de simulação ou emulação identificadas, aumentar o envolvimento de especialistas no assunto em áreas críticas de segurança e fazer alterações organizacionais na estrutura de relatórios de segurança.

A Nasa e a Boeing esperam fazer o voo de teste da Starliner para a ISS ainda este ano. Segundo o Washington Post, as empresas pretendem fazer o lançamento entre outubro e novembro.

publicidade

Falha na missão

O voo realizado em 20 de dezembro do ano passado com a nova espaçonave de passageiros, CST-100 Starliner, não saiu como o planejado. Isso porque o veículo não conseguiu alcançar a órbita certa quando foi lançado ao espaço. Felizmente, não havia pessoas a bordo, já que o voo foi apenas um teste. No entanto, isso coloca em xeque o futuro da Starliner.

As atualizações da Boeing e da Nasa, que estava ajudando a supervisionar a missão, foram bastante escassas. A Boeing disse que a Starliner é “segura e estável”, mas não ficou claro se a sonda permanecerá assim no futuro. 

Via: Engadget