EnglishPortugueseSpanish

A Lightricks, empresa criadora do aplicativo FaceTune, lançou um novo produto de edição de selfies para dispositivos iOS: o Quickart. A plataforma oferece filtros de imagens elaborados que permitem a usuários, por exemplo, criarem efeitos de dispersão de partículas ou incluir elementos no horizonte da foto.

publicidade

O uso do programa não é muito diferente de outros aplicativos de edição. Ao abrir o QuickArt, o usuário é apresentado a uma lista de filtros disponíveis. Após escolher um dos recursos, o proximo passo consiste em selecionar uma foto da galeria. O aplicativo então adiciona automaticamente o efeito à imagem. Para alguns filtros, existe a possibilidade de ajustar a intensidade e os ângulos do efeito desejado. As criações podem ser salvas no aparelho e publicadas em redes sociais, como o Facebook e o Instagram.

Por outro lado, ao contrário do Instagram Stories e do Snapchat, o Quickart não permite a captura de fotos com filtros diretamente pelo app. Em entrevista ao The Verge, o CEO e cofundador da Lightricks, Zeev Farbman explica que a limitação decorre do desafio de garantir o processamento em tempo real necessário para mostrar os efeitos enquanto a foto é capturada.

O aplicativo está disponível gratuitamente na App Store, porém parte dos filtros são voltados apenas a assinantes da modalidade Quickart Pro. O serviço custa US$ 5,99 (R$ 32 em conversão direta) mensais ou US$ 19,99 (R$ 106,60) anuais. Ainda há uma opção de assinatura ilimitada por US$ 59,99 (R$ 320). O The Verge aponta que o plano gratuito já oferece uma boa quantidade de filtros e a Lightricks promete adicionar novos efeitos regularmente.

Reprodução

Foto de divulgação do Quickart na App Store. Imagem: Lightricks

Ecossistema de criação

O Quickart é mais um aplicativo de um extenso portfólio de plataformas de edições de mídia criados pela Lightricks. Além do FaceTune, a companhia também controla o editor de fotos Quickshot e o Pixaloop, que permite usuários adicionarem animação a imagens. Há também o Photofox, que apresenta uma proposta semelhante à do Quickart, mas oferece recursos de edição ainda mais elaborados, como ferramentas de máscaras e camadas.

A intenção da Lightricks, como explica Farbman ao The Verge, consiste em criar um ecossistema de aplicativos capaz de atender uma ampla variedade de necessidades de uso dos usuários. “Nós realmente tentamos pensar não sobre aplicativos específicos, mas sobre todas as necessidades de criação aplicadas a celulares neste momento”, afirmou Farbman.

De acordo com o executivo, a companhia espera que o Quickart sirva como um aplicativo de introdução ao ecossistema de programas propostos pela empresa.

Fonte: The Verge