Aparentemente o Twitter está trabalhando em uma plataforma de assinatura. A novidade foi revelada em uma página de empregos, a qual publicou uma vaga para um membro da nova equipe interna da rede social intitulada “Gryphon”, que, segundo o anúncio, reúne engenheiros para construir uma “plataforma de assinatura”.

“Somos uma nova equipe, codinome Gryphon. Estamos construindo uma plataforma de assinatura, que pode ser reutilizada por outras pessoas no futuro. Esta é a primeira vez no Twitter!”, conta a vaga de emprego, que ainda especifica o tipo de profissional que está precisando: “Estamos procurando um engenheiro completo para liderar o trabalho de Pagamento e Assinatura do cliente, alguém que valorize a colaboração tanto quanto nós e que possa atuar como uma ponte para a equipe de engenharia”, explicou o Twitter.

publicidade

Reprodução

Print da vaga de emprego oferecida pelo Twitter. Imagem: The Verge

Embora a vaga tenha sido anunciada, a rede social não deixa claro como pretende implementar um serviço de assinatura. No entanto, é fato que, há alguns anos, o Twitter realizou uma pesquisa para entender se seus usuários pagariam por extras, como análises, alertas e informações sobre o que os seguidores de uma conta estão tuitando.

Além disso, o Twitter pode estar considerando assinaturas como as do Twitch, plataforma na qual o usuário pode pagar para ter acesso a contas individuais.

Contudo, depois que a mídia lançou luz sobre a vaga, o Twitter alterou a publicação para remover a menção à plataforma de assinatura e à equipe Gryphon. Agora, a vaga se limita a dizer que a empresa está simplesmente buscando por um engenheiro com experiência em Android para “trabalhar em um bando de equipes de engenharia de back-end para criar componentes que permitam que a experimentação ofereça a melhor experiência possível a todos os nossos usuários”.

O jornalista estadunidense Matthew Keys notou a alteração e a publicou em sua conta oficial do Twitter. “Atualização: o Twitter editou sua lista de tarefas de engenheiro, removendo qualquer menção à equipe interna ou ao recurso de assinatura”, revelou Keys.

 

Via: The Verge