A pandemia do novo coronavírus trouxe muitas palavras novas para o vocabulário cotidiano. Algumas delas são relacionadas aos testes que detectam o contato com o novo coronavírus, seja quando ele está ativo no organismo, seja quando já foram produzidos anticorpos contra a covid-19.

A equipe do Olhar Digital conversou com o virologista José Eduardo Levi para compreender quais são os testes disponíveis e como eles funcionam. O especialista diz que existem dois tipos de teste: os que detectam a presença do microrganismo e os que identificam a existência de anticorpos.

publicidade

Mais uma possibilidade é o teste que detecta antígenos. Assim como o exame RT-PCR, ele determina se um paciente tem o novo coronavírus no organismo. Pode ser feito a partir de 3 dias de infecção, quando os primeiros sintomas aparecem, e o resultado sai em 15 minutos. Segundo o virologista, a expectativa é que essa opção esteja disponível já em julho.

Depois da doença, o organismo desenvolve anticorpos. Como eles ficam no sangue, é preciso fazer um exame sorológico. Quem quiser saber se teve covid-19 tem duas opções: coletar uma amostra de sangue da veia em um laboratório e aguardar algumas horas ou usar sangue da ponta do dedo e ter resultado quase instantâneo com um teste rápido.

Interpretar os resultados de um exame é tão importante quanto se submeter ao teste. Então, para ter o diagnóstico mais adequado, é importante fazer o exame correto e ter o auxílio de um profissional de saúde na análise do contexto.

A versão completa da entrevista com o virologista José Eduardo Levi tem mais detalhes sobre os tipos de teste para a detecção do novo coronavírus e dos anticorpos da covid-19. Para vê-la, visite nosso portal, www.olhardigital.com.br.