Popularmente chamados de fast charger, os acessórios com altas voltagens têm sido cada vez mais procurados pelos consumidores pela sua rapidez no carregamento de aparelhos celulares. Entretanto, recentemente um grupo de pesquisadores chineses apontaram alguns problemas no firmware de alguns desses carregadores rápidos que podem danificar o aparelho permanentemente. 

A pesquisa, que foi batizada de BadPower, explica que alguns fabricantes de origem suspeita podem configurar os carregadores para oferecer ao celular uma voltagem acima da suportada pelo aparelho, o que pode causar sérios danos ao sistema e, principalmente, à bateria.

publicidade

O estudo foi encomendado pela empresa de tecnologia Tencent e mostrou como carregadores de origem duvidosa podem acabar com o seu smartphone. A pesquisa revelou que os carregadores que tiveram as especificações alteradas podem fazer com que os componentes internos peguem fogo. Isso porque, devido à alta tensão, o sistema pode provocar faíscas dentro do aparelho, o que causa o derretimento das peças e até combustão.

Há no mercado uma grande variedade de carregadores rápidos, dos mais simples com 12 volts até os mais potentes com 30 ou 40 volts. As opções são muitas, mas é preciso prestar atenção não apenas no valor da voltagem do acessório, mas também em quanto volts seu celular suporta.

carregador-2.jpg

Alguns modelos de carregadores rápidos podem danificar seu aparelho. Imagem: Reprodução

 

Muitos aparelhos tem um limite baixo de voltagem, principalmente os de baixo custo. Neste caso, não é recomendável que se compre um carregador acima do limite suportado pelo aparelho. Outro ponto importante, é evitar marcas muito baratas e de origem duvidosa, justamente por não haver garantias de que aquele produto seja de confiança.

A equipe de pesquisadores relatou ainda que testou os ataques do BadPower com 35 tipos de carregadores rápidos, de um total de mais de 234 modelos disponíveis no mercado.

O estudo foi informado ao Banco de Dados Nacional de Vulnerabilidades da China, bem como aos fabricantes dos carregadores sobre o problema. Aos fabricantes, ainda, foi orientado a atualização do firmware dos carregadores para que o problema fosse sanado.

Fonte: Techworm