EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Segundo um ditado, conhecemos mais sobre nosso sistema solar do que sobre o fundo dos oceanos. Para esclarecer um pouco desse mistério o explorador Fabien Cousteau, neto do lendário oceanógrafo Jaques Cousteau, quer estabelecer uma “estação espacial” no fundo do oceano.

Projetado em conjunto com o designer industrial Yves Behar, o laboratório submarino Proteus terá 370 m², e será composto por duas seções circulares empilhadas, das quais saem vários “casulos”. Cada um terá uma finalidade diferente, como laboratórios, enfermaria, estúdio de produção de vídeo e acomodações para cientistas.

publicidade

“Queríamos que fosse algo inovador, diferente, inspirador e futurista”, disse Behar em entrevista à CNN. “Então olhamos para tudo, de ficção científica a casas modulares e ‘hotéis cápsula’ japoneses”. Segundo o designer, Proteus terá a primeira estufa submarina, para produção de alimentos para seus ocupantes. O laboratório será alimentado por energia eólica (gerada pelo vento), solar e térmica.

Reprodução

publicidade

Ilustração do hábitat submarino Proteus, proposto por Fabien Cousteau e Yves Behar. Foto: Fabien Cousteau / Yves Behar

“A exploração dos oceanos é 1.000 vezes mais importante que a exploração do espaço para nossa sobrevivência, para nossa trajetória rumo ao futuro”, disse Cousteau à CNN. “Eles são nosso sistema de suporte de vida. São a razão pela qual existimos, em primeiro lugar”.

Cousteau pretende construir o Proteus no litoral de Curaçao, território holandês no Caribe. O projeto deve durar três anos. Atualmente só há um outro hábitat submarino em operação, o Aquarius, mantido pela Universidade da Flórida no litoral dos EUA.

Fonte: Futurism