EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A lista de junho da Redmonk, que ranqueia a popularidade das principais linguagens de programação, revelou uma novidade bombástica: pela primeira vez, desde 2012, a linguagem Java não figurou entre as duas primeiras posições do ranking. A linguagem de programação mais popular continuou sendo a JavaScript, mas a segunda colocação passou a ser ocupada pela Python.

A disputa entre Python e Java estava acirrada nos últimos meses. Ambas estavam empatadas nas divulgações anteriores do ranking, mas um dos motivos que pode explicar a queda da Java é a atenção dos programadores voltada para outras linguagens, segundo Stephen O’Grady, analista da RedMonk.

publicidade

Realizado pela Redmonk, o ranking de popularidade das linguagens de programação tem como base o cruzamento de dados da plataforma GitHub e as discussões no site Stack Overflow.

Confira abaixo as 20 linguagens mais “queridas” pelos programadores no mês de junho:

1. JavaScript

2. Python

publicidade

3. Java

4. PHP

5. C++

6. C#

7. Ruby

8. CSS

9. TypeScript

10. C

11. Swift

12. Objective-C

13. R

14. Scala

15. Go

16. Shell

17. PowerShell

18. Perl

19. Kotlin

20. Rust

Outra novidade foi a entrada da Rust na lista. A linguagem criada pela Mozilla tem sido utilizada em plataformas da Apple, Amazon, Google e Microsoft, e aponta um crescimento expressivo: em cinco anos, ela pulou da 48ª posição para a 20ª.

A Kotlin também não fica atrás. Em 2015, a linguagem estava apenas no 68º lugar, mas atualmente, é a 19ª linguagem de programação mais popular, segundo a Redmonk.

rankings-over-time-2020-06.png

Gráfico exibe troca de posições ao longo dos anos entre as linguagens de programação mais populares. Foto: Divulgação/Redmonk

 

Apesar de se manter na 13ª colocação, a R ganhou destaque sendo utilizada por universidades e indústrias do setor de saúde na corrida para encontrar a vacina contra a Covid-19.

O destaque final vai para o TypeScript, que incorpora elementos do JavaScript em sua composição. O’Grady questiona se a linguagem tem potencial para pressionar as cinco primeiras colocadas ou se vai permanecer entre as últimas do top 10. Só o tempo dirá.

Via: ZDNet