EnglishPortugueseSpanish

A caminho de Marte, a sonda chinesa Tianwen-1 aproveitou uma manobra de correção de trajetória para capturar uma imagem da Terra e da Lua a cerca de 1,2 milhão de quilômetros de distância. A foto foi divulgada pela Administração Espacial Nacional da China (CNSA).

Esta é a primeira missão dos chineses em espaço profundo. O lançamento do foguete Long March 5 aconteceu no último dia 23, e chegou a ser registrado pela câmera do Gabinete de Defesa Planetária da Nasa, e compartilhado pela agência no Twitter. Se tudo ocorrer, a Tianwen-1 deve chegar ao Planeta Vermelho daqui a sete meses, em fevereiro de 2021.

publicidade

A missão é formada por três elementos: um módulo de aterrissagem, um rover (robô) e um orbitador. No dia 1º de agosto, a sonda passou por seu primeiro teste de fogo: a Tianwen-1 disparou seu motor por 20 segundos para otimizar a trajetória, a 3 milhões de quilômetros de distância da Terra, após 230 horas de voo. O sucesso da manobra validou o sistema de propulsão do veículo, vital para corrigir sua trajetória e diminuir a velocidade da espaçonave para permitir que ela entre na órbita de Marte.

A espaçonave ainda fará outros quatro ou cinco ajustes antes de chegar ao seu destino, segundo a CNSA. A próxima correção de manobra será feita antes de outubro. De acordo com a agência, a Tianwen-1 está em boas condições e comunicando-se bem com o solo.

Quando chegar em Marte, o rover, com a ajuda do módulo de aterrissagem, pousará no solo e atuará por 90 dias coletando informações detalhadas da superfície. O veículo é movido a energia solar e equipado com uma câmera e cinco instrumentos científicos – entre eles, um monitor meteorológico, um detector de campo magnético e um radar de exploração subterrânea. Este último irá auxiliar o robô a conhecer o subsolo de Marte, aumentando a expectativa de encontrar água abaixo da superfície. 

Já o orbitador passará cerca de 690 dias estudando a atmosfera do planeta. Ele conta com sete instrumentos: duas câmeras, um radar de exploração de superfície, um espectrômetro de mineralogia, um magnetômetro, um analisador de partículas íon e um analisador de partículas energéticas.

A Tianwen-1 é uma das três missões rumo a Marte que acontecem no intervalo de 11 dias. Em meados de julho, os Emirados Árabes Unidos enviaram um satélite para orbitar o planeta, e no último dia 30, os Estados Unidos lançaram o “Perseverance”, que buscará sinais de vida no Planeta Vermelho.

Via: Space.com