EnglishPortugueseSpanish

A Starship SN5, primeiro protótipo da nova espaçonave da SpaceX a voar, pode decolar novamente. A informação vem de Elon Musk, fundador e CEO da SpaceX, em resposta a uma pergunta do youtuber Tim Dodd, do canal Everyday Astronaut.

O voo inaugural ocorreu na última terça-feira (4): a espaçonave decolou de uma plataforma nas instalações da SpaceX em Boca Chica, no Texas, pairou no ar por alguns segundos, a 150 metros de altura, e pousou verticalmente a poucos metros do local da decolagem.

publicidade

O protótipo, com 9 metros de diâmetro e 30 de altura, foi equipado com apenas um propulsor Raptor, enquanto a versão final terá seis propulsores, além de outros 31 no foguete Falcon Super Heavy, que será usado para lançamentos na Terra.

Perguntado se a SN5 iria voar novamente, Musk respondeu que não tem certeza, mas “espera que sim”. Antes será necessária uma inspeção completa, bem como reparos dos pés do veículo, já que dois deles foram destruídos durante o pouso.

Por isso, segundo Musk, é possível que um outro protótipo da Starship, chamado SN6, voe antes da SN5 retornar aos céus. A SpaceX está desenvolvendo sua espaçonave de forma acelerada, com múltiplos protótipos sendo construídos simultaneamente e testados, ou destruídos, em rápida sucessão.

O executivo afirma que os próximos protótipos terão novas versões dos pés para o pouso. A “versão 1.1” será 60% mais longa, e a “versão 2.0” será “muito mais larga e alta, como no Falcon 9“, e capaz de pousar em terreno desnivelado.

A SpaceX iniciou há alguns dias a construção do oitavo protótipo da Starship, chamado SN8. O modelo SN7 foi desenvolvido especificamente para testar uma nova liga metálica, e testado até sua destruição no final de junho.

Musk tem como objetivo construir uma cidade em Marte com 1 milhão de habitantes até 2050. Para isso, a SpaceX teria de construir 100 Starships por ano, num total de mil naves ao longo de 10 anos, e fazer três lançamentos diários, cada um transportando mais de 100 toneladas, num total de 100 mil toneladas/ano. Isso seria feito a cada vez que a Terra e Marte ficarem mais próximos, o que acontece uma vez a cada 26 meses.

Fonte: Teslarati