EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um novo projeto da Amazon já está deixando astrônomos pelo mundo preocupados. A empresa obteve uma autorização que permite o lançamento de nada menos que 3.326 satélites para a órbita terrestre, o que mais do que dobraria o número de objetos que orbitam o planeta.

Chamado de Project Kuiper, o projeto visa ampliar a cobertura de internet no mundo, de forma similar à ideia da SpaceX e sua iniciativa OneWeb. O problema é que atualmente há 2.600 satélites na órbita terrestre, e o Kuiper levaria esse número para quase 6.000.

publicidade

Isso tem algumas implicações negativas sobre a observação astronômica. A SpaceX já tem quase 600 satélites lançados e eles já começaram a afetar o trabalho dos pesquisadores, aparecendo como riscos luminosos nas imagens do céu, o que pode afetar os telescópios baseados no solo.

Os astrônomos reclamam da falta de regras claras sobre esse tipo de indústria, o que faz com que a situação se assemelhe “a colocar um monte de aviões no ar sem controle de tráfego”, como define Michele Bannister, astrônoma na Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia, em entrevista ao New York Times.

publicidade

A SpaceX tentou minimizar esse problema projetando seus satélites com um revestimento que não reflita a luz, o que faria com que ele se torne um problema menos evidente nas observações a partir do solo. Da mesma forma, a Amazon diz que a refletividade de seus satélites também é levada em consideração durante o projeto.

Ainda assim, os pesquisadores pedem para a implementação de algum tipo de organização regulatória que defina normas que possam permitir a essas empresas que lancem suas iniciativas sem afetar o trabalho de quem depende da observação espacial. Por enquanto, a situação é nebulosa.