Após o sucesso da Demo-2, a Nasa e a SpaceX se preparam para a realização da primeira missão tripulada oficial resultante de sua parceria. Após ser adiado para setembro, foi redefinido que o voo operacional da Crew Dragon não deve ocorrer antes do dia 23 de outubro.

A tão aguardada missão levará ao espaço o comandante Michael Hopkins, o piloto Victor Glover e o especialista em missões Shannon Walker, todos da Nasa, além de Soich Noguchi, da agência espacial japonesa

publicidade

A Nasa ainda está revisando todos os dados para dar a certificação oficial à Crew Dragon. Se nenhum problema for encontrado, a espaçonave deve voar novamente no fim de outubro. A data deve marcar o lançamento da missão Crew-1, a primeira da nova era de voos espaciais, que zera a dependência de equipamentos russos. O uso dos foguetes de origem na Rússia passou a ser feito após a aposentadoria dos antigos ônibus espaciais, em 2011.

ReproduçãoCrew Dragon será utilizada pela Nasa para levar astronautas ao espaço. Foto: Simulação/Nasa

 

Depois de anos dedicados ao desenvolvimento e diversos testes da sua espaçonave, a SpaceX fez seu primeiro voo espacial tripulado em maio. A Demo-2 levou Robert Behnken e Douglas Hurley, ambos da Nasa, para uma estadia de 62 dias na Estação Espacial Internacional (ISS). Após o sucesso da missão, a agência espacial deu o sinal verde para prosseguir com os planos das missões de rotina.

Agora, a Nasa possui uma série de contratos com a SpaceX e a Boeing, que desenvolve a cápsula Starliner. Outras empresas, como a Blue Origin, de Jeff Bezos, e a United Launch Alliance (ULA) também brigam por contratos com a agência espacial.

Missões de segurança nacional

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos fechou contratos com a SpaceX e a United Launch Alliance (ULA) como seus dois principais prestadores de serviços de lançamento para missões de segurança nacional. Três missões foram encomendadas para 2022.

A ULA recebeu US$ 337 milhões para lançar duas missões: USSF-51 e USSF-106, programadas para o segundo e quarto trimestres do ano fiscal 2022, respectivamente. A SpaceX ganhará US$ 316 milhões para lançar a missão designada USSF-67, no fim do mesmo ano.

Via: Nasa