No último domingo (16), astrônomos descobriram que um asteroide do tamanho de um carro compacto fez o sobrevoo mais próximo da Terra já registrado sem atingir o nosso planeta. Há cerca de três semanas, algo bem semelhante já tinha acontecido

Inicialmente batizado de ZTF0DxQ, o asteroide, que agora se chama 2020 QG, sobrevoou a Terra a uma distância de “apenas” 2.950 quilômetros – o que é pouco em termos astronômicos. De acordo com a Nasa, isso lhe rendeu o título de asteroide que passou mais perto da Terra sem causar estragos por aqui.

publicidade

“A aproximação de ontem é a mais próxima já registrada”, afirmou Paul Chodas, diretor do Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra da Nasa. “Se você descontar alguns asteroides conhecidos que realmente impactaram nosso planeta”, acrescentou.

Reprodução

Representação do quão perto 2020 QG chegou da Terra. Imagem: Reprodução

Ao contrário do que se possa imaginar, a aproximação do 2020 QG não era esperada e pegou muitos de surpresa. Para se ter uma ideia, o Observatório Palomar, nos Estados Unidos, não detectou o asteroide pelo menos até seis horas após a investida mais próxima do corpo celeste. “O asteroide se aproximou sem ser detectado da direção do Sol”, disse Paul Chodas. “Nós não previmos isso”, completou.

Talvez a explicação seja a velocidade impressionante de 44.400 quilômetros por hora em que o 2020 QG estava sobrevoando a Terra. Além disso, o asteroide tinha o tamanho de um carro compacto; entre 3 e 6 metros de diâmetro.

Segundo o Minor Planet Center, organização da União Astronômica Internacional focada em asteroides, o 2020 QG sobrevoou o Oceano Pacífico, no extremo leste da Austrália, durante seu pico de aproximação.

Você pode explorar o asteroide por conta própria no banco de dados de corpos celestes pequenos do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla em inglês) da Nasa.

 

Via: Space.com