Por algum tempo, a Microsoft foi a única empresa citada como interessada em adquirir o TikTok. No entanto, pouco depois, o Twitter foi apontado como companhia que está na fase de “conversas preliminares” para adquirir o aplicativo de vídeos curtos.

Agora, segundo o Financial Times, a Oracle entrou na corrida para a compra do app. Com isso, a ByteDance, proprietária do TikTok, pode definir qual empresa se encaixa melhor na proposta da plataforma antes de fechar o negócio.

publicidade

Ainda de acordo com a publicação, a Oracle possui investidores que também têm participação na ByteDance, como a General Atlantic e a Sequoia Capital. Além disso, a empresa está disposta a adquirir as operações do aplicativo nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

Reprodução

Oracle negocia compra do TikTok. Foto: Reprodução

A compra pela Oracle pode ser a melhor opção para a empresa, já que fontes ligadas ao setor indicam que o Twitter pode ter limitações financeiras para adquirir a plataforma e que a Microsoft está interessada em comprar o serviço em locais que a ByteDance pode não querer vender.

Recentemente, a Bloomberg divulgou que a Oracle vale cerca de US$ 166 bilhões e que tem US$ 43 bilhões em “dinheiro e equivalentes”, valor que poderia facilmente ser usado para negociações.

Continuidade na Índia

A gigante chinesa ByteDance, dona do TikTok, iniciou conversas com a indiana Reliance Industries para apoiar a continuidade de sua marca na Índia. O movimento pode ser visto como uma tentativa de salvar o destino do popular aplicativo de vídeo em seu maior mercado.

Após tensões geopolíticas entre China e Índia, o TikTok acabou banido no país vizinho no dia 29 de junho. O governo indiano bloqueou o app de vídeos curtos e outros 58 aplicativos chineses por problemas de segurança e privacidade.

A Índia era o maior mercado do TikTok fora da China, superando os 200 milhões de usuários. A ByteDance emprega duas mil pessoas no país, porém seu destino depende da capacidade da empresa de convencer o governo indiano a permitir sua operação, ou então de vender sua marca no país.

As conversas entre a Reliance e a ByteDance começaram no fim de julho, mas ainda não chegaram a um acordo, segundo fontes informaram ao TechCrunch. Uma das fontes afirmou que os negócios do TikTok na Índia são avaliados em mais de US$ 3 bilhões. Nenhuma das empresas se manifestou sobre as conversas.

Via: Engadget