Nvidia expande GeForce Now para Chromebooks

A Nvidia anunciou nesta semana o lançamento do GeForce Now para diversos modelos de Chromebooks. O serviço concorre diretamente com o xCloud (Microsoft) e o Stadia (Google), oferecendo funções que as empresas rivais não conseguiriam oferecer. 

O GeForce Now era um serviço esperado para os notebook da Google, já que a Nvidia havia anunciado  suporte aos Chromebooks. Por serem dispositivos de entrada, o hardware de pouca potência poderia inviabilizar o uso de jogos mais pesados. Com o GeForce Now, existe a possibilidade de aproveitar uma grande gama de títulos, com desempenho eficiente. A ferramenta pode reproduzir jogos em Full HD, com uma taxa de 60 fps, aquecendo ainda mais a disputa entre as fabricantes de computadores.

 

Apesar de não possuirem o hardware mais bem preparado para jogatinas, serviço da Nvidia ajudará no desempenho dos Chromebooks. Créditos: Flickr

Nvidia GeForce Now

O serviço de jogos em streaming foi lançado oficialmente em fevereiro, prometendo inovar um mercado que segue em constante desenvolvimento. Diferente de outras marcas como o Google Stadia e o Microsoft xCloud, o serviço permite que o usuário jogue títulos comprados em outras distribuidoras ou plataformas de venda. Contas da Epic Games, Steam e Battle.net são compatíveis com o GeForce Now, proporcionando uma flexibilidade maior com relação aos jogos.

A ferramenta está disponível em duas modalidades, gratuita e paga. A primeira opção proporciona sessões de até uma hora, podendo usufruir desse tempo quantas vezes quiser. O grande diferencial é a existência de uma fila, que pode atrasar completamente a jogatina. Além disso, a empresa limita a eficácia do hardware e retira o funcionamento de alguns recursos.

Para aqueles que quiserem ter acesso ao serviço completo, terão que desembolsar US$ 5 mensais. O “premium” permite sessões com tempo ilimitado, sem filas ou limitações gráficas, proporcionando uma melhor experiência.

O GeForce Now está disponível nos Estados Unidos e em parte da Europa, pois ainda existem diversas restrições para o funcionamento da plataforma em alguns países. Vale lembrar que a Apple foi a única empresa que recusou o serviço, assim como fez com outros projetos voltados a jogos em streaming.

Fonte: XDA Developers

 

Esta post foi modificado pela última vez em 20 de agosto de 2020 18:14

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Redação