A Apple é uma das maiores fabricantes de smartphones do mundo e, por meio da marca Beats, adquirida em 2014, também tem um grande mercado de fones de ouvido e caixas de som. Apesar do sucesso, a empresa não está livre dos processos. Recentemente, ela foi acusada de anunciar falsamente que os fones Powerbeats 2 seriam “resistentes ao suor e à água” e “feitos para durar”. A acusação vai além e diz que eles são “de má qualidade” e têm problemas com a bateria “após uso mínimo”.

Agora, a empresa aceitou um acordo de US$ 9,75 milhões, considerando que, mesmo que não concorde com a denúncia, seria mais barato do que ir a julgamento por isso. Quem comprou os fones Powerbeats 2 nos Estadis Unidos antes de 7 de agosto podem receber um pagamento de indenização.

publicidade

Para que isso aconteça, é necessário preencher um formulário no site do processo e o valor a ser recebido varia com base em uma série de fatores: número de pessoas que fizerem a reclamação, a apresentação de um comprovante da compra e registro da obtenção de uma garantia para reparo ou substituição.

Powerbeats-2.jpgProcesso chama Powerbeats 2 de fone de “má qualidade”. Foto: Beats

A audiência final do caso está marcada para 15 de janeiro e vai determinar se o acordo proposto é justo ou não. Se for aprovado, o valor será distribuído, podendo chegar a US$ 189 por comprovante de compra.

Processo por empresa chinesa de inteligência artificial

Esta, porém, não é a primeira vez que a Apple é processada recentemente. A empresa de inteligência artificial Shanghai Zhizhen Intelligent Network Technology (Xiao-i) moveu um processo contra a Apple alegando que a norte americana infringiu normas de patente pertencentes a ela.

A organização chinesa exige que a Apple pare, imediatamente, a produção, importação e uso desses produtos que infringem suas patentes. Outra imposição feita pela Xiao-i, é o pagamento de 10 bilhões de yuan, o equivalente a US$ 1,4 bilhão.

O produto que a entidade diz ter direito é a Siri, tecnologia de reconhecimento de voz e realização de comandos, presente na maioria dos produtos da Apple. A companhia chinesa afirma ter desenvolvido a estrutura da ferramenta. Em nota divulgada nas redes sociais, a Xiao-i alega ter entrado com pedido de patente em 2004, obtendo os direitos sobre o produto em 2009.

Via: The Verge