Ex-estagiária processa SpaceX por retaliação após denúncia de assédio

Uma ex-estagiária da SpaceX chamada Julia CrowleyFarenga está processando a empresa aeroespacial de Elon Musk por ser supostamente retaliada após denunciar episódios de assédio. De acordo com a antiga funcionária, a SpaceX não aprovou sua efetivação depois que ela expôs suas preocupações a um superior.

CrowleyFarenga atuou como estagiária de verão da empresa nos anos de 2015, 2016 e 2017, tempo no qual alega ter recebido “avanços indesejáveis” de Erik Palitsch, seu gerente, o qual foi descrito como “possessivo e ciumento” e que estendia as reuniões com a mulher, algo que não fazia com estagiários homens.

CrowleyFarenga, que atualmente é engenheira da Nasa, contou ter relatado diversos comentários de Palitsch ao RH da SpaceX. Segundo a ex-estagiária, o gerente lhe dizia coisas como “você é única, eu poderia passar o resto da minha vida tentando descobrir você” e “cuidado com quem você é vista conversando”.

Como Palitsch, que também não trabalha mais na SpaceX, não parou com as investidas, CrowleyFarenga reclamou com seu superior Will Heltsley, vice-presidente da Equipe de Propulsão da empresa. Na ocasião, Heltsley concordou que existia um “comportamento problemático acontecendo”, mas queria conversar com outro estagiário para descobrir se “está acontecendo porque Erik é Erik ou porque você é você”, como explica o processo.

Construção da SpaceX no Cabo Canaveral, Flórida. Imagem: L. Galbraith/Shutterstock

CrowleyFarenga também disse que Heltsley lhe ofereceu uma transferência para uma equipe diferente e que ela se sentiu obrigada a aceitar.

Após um feedback negativo inesperado no fim de seu terceiro período de estágio, CrowleyFarenga não recebeu uma oferta de emprego por “baixo desempenho”, mas foi incentivada a se inscrever para a contratação em uma data posterior.

Foi então que ela se candidatou a um cargo alternativo no Departamento de Integração e Operações de Clientes da SpaceX que, mesmo após comentários positivos de recrutadores e entrevistadores, não lhe foi oferecido. No processo, CrowleyFarenga afirma que soube que a oferta de trabalho foi suspensa por Heltsley.

Agora, a ex-estagiária está processando a SpaceX por danos, incluindo a posição perdida na empresa, salários, benefícios e “lesões emocionais”, como humilhação, depressão e ansiedade. Além disso, ela exige um julgamento por júri.

Via: Digital Trends

Esta post foi modificado pela última vez em 28 de agosto de 2020 22:13

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Redação