EnglishPortugueseSpanish

De acordo com a Bethesda, a engine gráfica que roda “Doom Eternal“, a iD Tech 7, é tão poderosa que pode processar o jogo a mil frames por segundo – se tivesse o equipamento certo para isso.

Para provar o que disse, a desenvolvedora fez um experimento para conquistar esse feito. Só precisou de uma placa de vídeo ASUS RTX 2080Ti, memória HyperX Predator, um drive Samsung M2, um chip Intel i9 9700K, uma fonte de alimentação de 1.200w… E um balde de nitrogênio líquido!

publicidade

Como mostra o vídeo da façanha, só operando a uma temperatura de -196°C a coisa toda não explodiu num cogumelo de chamas:

O responsável pelo teste foi o gerente de comunidade da Bethesda na Polônia, Lukasz Lesniewski. Ele entrou em contato com a revendedora de hardware x-kom e com o blogueiro de tecnologia Piotr “Lipton” Szymanski sobre o projeto. Os dois montaram então a máquina que encararia o desafio.

“Nós começamos os preparativos uma semana antes da tentativa em si”, lembra Piotr. “Depois de escolhermos os componentes, tínhamos que fazer uma montagem inicial da plataforma para ver como ela se saía. Só isso nos ocupou um dia inteiro de trabalho”.

No primeiro dia, a equipe alcançou por volta de 500-600 FPS, o que era muito bom, mas não o objetivo. Então veio a ideia de congelar o computador. “Quando um sistema potente e de alta voltagem como esse sofre overclocking na capacidade máxima, seu aquecimento é tremendo. É por isso que não se recomenda o overclocking de computadores comerciais sem um sistema de resfriamento adequado”, explica Lesniewski.

No segundo dia, a equipe conseguiu fazeros oito núcleos da CPU chegaram a quase 6,6 GHz e o medidor registrou exatamente 1.006 quadros por segundo. “Ele chegou a marcar 1.014 FPS em um mapa tutorial, excedendo o objetivo com alguns quadros de sobra”, conta o executivo da Bethesda.

Via: Vice