Os veículos elétricos estão se tornando cada vez mais comuns, tanto na terra quanto nos céus. Porém, enquanto os carros já são realidade, os aviões movidos a energia elétrica ainda estão evoluindo. Agora, uma equipe da Pipistrel planeja mostrar seu avanço no quesito quebrando uma série de recordes com sua aeronave Pipistrel Velis Electro em uma viagem de 700 km.

A equipe partiu no domingo (30) de Zurique, na Suíça, e vai pousar nesta terça-feira (1º) na ilha de Norderney, no Mar do Norte. Esse tempo será necessário porque trata-se de uma aeronave de treinamento, o que o limita a 100 quilômetros por voo. Com isso, serão necessárias seis paradas para recarregamento das baterias, o que leva até duas horas.

publicidade

Durante a viagem, a equipe pretende quebrar sete recordes:

  • Menor consumo de energia em 700 km;
  • Maior velocidade média em 700 km;
  • Maior altitude alcançada por uma aeronave elétrica;
  • Desempenho de subida mais rápida de 0 a 1.000 m, de 1.000 m a 2.000 m e de 2.000 m a 3.000 m;
  • Maior velocidade média em 100 km;
  • Menor número de paradas intermediárias na distância de 700 km;
  • Distância mais longa voada eletricamente em 54h, em 48h e em 56h.

ReproduçãoAvião elétrico pode ser alternativa para voos de curta distância. Foto: Pipistrel

O Pipistrel Velis Electro possui um motor elétrico refrigerado por líquidos de 60 kW com um sistema elétrico de 345 VCC. O avião possui duas baterias paralelas redundantes, fornecendo um total de 24,8 kWh de energia. Além disso, a aeronave alcança velocidade máxima de 171 km/h e altitude máxima de 3.660 metros.

“Voar com querosene é extremamente prejudicial ao clima. A aviação atualmente é responsável por cerca de 5% do aquecimento global, e a tendência está aumentando”, destacou Marco Bulhozer, membro da equipe, sobre a importância do voo elétrico. “Queremos mostrar que existem alternativas, mesmo que não façamos toda a rota de uma vez só. A maioria dos pequenos aviões voa distâncias menores que quilômetros de qualquer maneira, e você poderia fazer isso eletricamente”, finalizou.

Via: Electrek