EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou uma cartilha recomendando o uso de corticoides para o tratamento de casos graves da Covid-19. O documento, que foi publicado nesta quarta-feira (2), inclui medicamentos como a dexametasona e a hidrocortisona.

A recomendação da OMS é amparada pelos recentes estudos clínicos que apontaram a eficácia dessa classe de medicamentos no combate à doença.

publicidade

Um deles, conduzido pela Coalizão Covid-19 Brasil e citado pela coluna de Mônica Bergamo na Folha, concluiu que os corticoides reduzem o tempo de intubação dos pacientes infectados pelo novo coronavírus.

De acordo com a pesquisa, o tratamento com dexametasona aumentou de 4 para 6,6 (em média) o tempo dos pacientes fora do respirador mecânico. Os resultados foram obtidos por meio da observação clínica de 299 pessoas internadas em 41 unidades de terapia intensiva (UTIs). 

shutterstock_1758404285.jpg

Dexametasona pode reduzir o tempo que pacientes com Covid-19 passam nos respiradores mecânicos. Imagem: Dxkfoto/Shutterstock

publicidade

Ainda nesta quarta-feira, o renomado periódico Journal of the American Medical Association publicou uma revisão de sete estudos que investigam o mesmo assunto. Somados, eles levam em consideração os quadros de 1,7 mil pacientes de 12 países, incluindo o Brasil.

Os pesquisadores observaram que, no geral, o grupo que tomou corticoides teve mortalidade 20% inferior em relação aos demais pacientes.

Ação dos corticoides 

Processos inflamatórios são a resposta natural do organismo aos patógenos invasores, como o vírus causador da Covid-19. Nos casos graves da doença, contudo, a reação do corpo acontece de forma demasiadamente intensa, levando a uma “tempestade inflamatória” que, por sua vez, pode causar a falência dos órgãos. 

É aí que entra o papel dos corticoides. Por serem remédios anti-inflamatórios, eles atenuam a resposta do organismo ao vírus, resultando na melhora dos pacientes. 

É por isso, inclusive, que a OMS recomendou esse tipo de droga somente para os casos severos da doença. O motivo é simples: se os procesos inflamatórios atuam combatendo o vírus, bloqueá-los no início da infecção é o mesmo que deixar o organismo desprotegido.

Logo, a automedicação com corticoides em casos leves da Covid-19 pode levar ao agravamento da doença, e deve ser desencorajada. 

Via: Estadão