Com o objetivo de melhorar a segurança cibernética das missões espaciais, a Casa Branca publicou, na sexta-feira (4), um memorando com diversas normas e recomendações para melhores práticas de proteção a ataques cibernéticos.

Assinada pelo presidente Donald Trump, a “Diretiva de Política Espacial 5” (SPD-5) trata de questões relativas ao posicionamento do país frente a corrida espacial e, sobretudo, aos antecedentes que fizeram a ela ser necessária.

publicidade

Segundo o documento, as mudanças são importantes, pois, “é essencial proteger os sistemas espaciais de incidentes cibernéticos, de modo a evitar interrupções em sua capacidade de fornecer contribuições confiáveis e eficientes para as operações de infraestrutura crítica da nação”.

Reprodução

Em 2021, a Nasa deve fazer a primeira missão operacional tripulada da história. Foto: Shutterstock


Entre outros pontos, o memorando recomenda a criptografia dos dados recebidos das naves espaciais e sugere que os equipamentos sejam adquiridos de empresas confiáveis, de modo a evitar que eles já venham com possíveis malwares.

O documento também reitera que as práticas devem ser empregadas às espaçonaves aos canais de comunicação e às estações terrestres, local onde esses dados são gerenciados.

As diretrizes se aplicam às agências estatais, como a Nasa, bem como às agências privadas, como a SpaceX. Entretanto, especialistas apontam que grande parte dessas empresas já seguem esta conduta.

Segurança cibernética espacial

Este não é o primeiro movimento do governo Trump em relação à segurança cibernética. Em abril de 2019, foi criado um Centro de Análises e Compartilhamento de Informações (ISACs) exclusivo para a indústria aeroespacial, assim como há centros para outras áreas da Economia. Situado em Colorado Spring, o local é destinado a coletar, analisar e disseminar informações sobre ameaças à segurança que afetam o setor.

Outras quatro diretrizes já foram publicadas pelo governo americano. Em 2017, na SPD-1, o presidente redirecionou o programa espacial dos EUA para a exploração humana, visando estabelecer uma base para uma eventual missão a Marte.

Em maio de 2018, a SPD-2 tratou da regulamentação da racionalização do uso comercial do espaço. Já a SPD-3, publicada em junho do mesmo ano, implementou uma Política Nacional de Gestão do Tráfego Espacial.

A última norma publicada, SPD-4, em fevereiro de 2019, lançou a Força Espacial e a estabeleceu como sexto departamento militar das Forças Armadas dos EUA. “Nosso destino, além da Terra, não é apenas uma questão de identidade nacional, mas uma questão de segurança nacional”, afirmou Trump na ocasião.

 

Fonte: ZDNet