A Virgin Galactic está próxima de levar turistas ao espaço (ou pelo menos seu fundador). A empresa realizará os testes finais e tripulados de sua SpaceShipTwo no dia 22 de outubro, segundo documentos protocolados na Comissão Federal de Comunicações (FCC). A nave partirá do Spaceport America, no Novo México (EUA).

O voo será o primeiro dos dois testes planejados pela Virgin Galactic, e deve ter dois pilotos de testes a bordo da SpaceShipTwo. No mês passado, a empresa disse que o segundo voo teste terá quatro “especialistas em missões” dentro da cabine. Se ambos forem bem-sucedidos, a Virgin Galactic espera transportar seu fundador, Sir Richard Branson, no primeiro trimestre de 2021 – um momento que marcará o início do serviço de turismo espacial.

publicidade

Um porta-voz da Virgin Galactic confirmou a veracidade dos documentos obtidos pela CNBC, mas observou que a data de 22 de outubro marca o início de uma janela de voo. Em outras palavras, o lançamento pode acontecer nos dias seguintes. Antes do voo espacial, a empresa diz no documento que pretende realizar voos de teste de quatro horas com o porta-aviões WhiteKnightTwo, programados para os dias 1° e 7 de outubro.

Reprodução

Conceito da nave que levará os turistas espaciais. Imagem: Virgin Galactic

O próximo voo espacial da Virgin Galactic será o primeiro a sair da base operacional da empresa no Spaceport America, no estado do Novo México. Esse também será o primeiro voo espacial da companhia desde fevereiro de 2019, quando a Virgin Galactic enviou a treinadora-chefe de astronautas, Beth Moses, como a primeira passageira de testes da espaçonave.

Entretanto, não espere conseguir uma passagem para o espaço de maneira simples. Com ingressos custando no mínimo US$ 250 mil (mais de R$ 1,3 milhão em conversão direta), as primeiras viagens turísticas serão restritas somente a pessoas (muito) ricas e com muita vontade de dizer que já estiveram no espaço.

Há muito mais em jogo do que apenas o orgulho de ser a primeira a levar turistas para o espaço. A empresa tem sofrido com uma grande queda nas suas receitas – no segundo trimestre, houve um declínio de US$ 63 milhões. A Virgin Galactic não pode realmente se recuperar das perdas até que esteja vendendo passagens para turistas, o que significa que seus testes precisam ser concluídos o mais rápido possível.

Via: Engadget