EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Os colecionadores de vinis têm mostrado a sua força no mercado consumidor dos Estados Unidos. Conforme divulgou a Associação Americana da Indústria de Gravadoras (RIAA, na sigla em inglês) na última sexta-feira (11), o atual consumo de vinis ultrapassou em números os de CDs, pela primeira vez na indústria desde os anos 1980. 

Esse e outros dados foram publicados no relatório de meio do ano da associação, que também registrou outros números referentes à ascensão — e a queda — de algumas mídias físicas. Segundo o que foi reportado, os números de vinis aumentaram em 4% desde o primeiro semestre de 2019, catapultando a receita para o acúmulo de US$ 232 milhões, o valor representa 62% da receita física, no total, durante o primeiro semestre do ano.

publicidade

shutterstock_718664518.jpgVinis em alta: receita gerada por colecionadores do artigo “vintage” galgam receita de CDs pela primeira vez desde os anos 1980. Créditos: Shutterstock 

No entanto, as vendas físicas, em termos gerais, deram uma pequena recuada: ao todo, registraram US$ 376 milhões, uma queda de 23% em relação à 2019. Alguns fatores que resultaram no baque do setor são as medidas de isolamento e distanciamento social que impossibilitou a venda de CDs em shows, a visitação de lojas de música, os orçamentos em queda por conta do desemprego resultante da pandemia do coronavírus, entre outros. 

publicidade

Contudo, o principal “vilão” da causa parece ser a popularização e o aumento do alcance dos serviços de streaming.

Números do mercado de streaming 

O relatório apontou que mais de 85% da receita do mercado musical vem das plataformas de streaming. Esse número de seis meses já espanta o total de 2019, cuja receita calculada foi de 79%. 

O somatório de todas as assinaturas de plataformas (Spotify, Apple Music, Tidal, entre outros) do semento aumentou em 72% comparado com o primeiro semestre de 2019: cresceu em mais de 72 milhões de dólares. A receita total do mercado de streaming já aumentou 12% do total de 2019: agora, as plataformas já foram responsáveis por US$ 4.8 bilhões da receita. 

Já o crescimento nas receitas de streaming suportados por anúncios deu uma pequena queda de 3%. Mas, apesar disso, é apontado que a receita de streaming suportado por anúncios ainda foi maior que as vendas físicas e download digitais: US$ 421 milhões e US$ 351 milhões, respectivamente.