EnglishPortugueseSpanish

Setembro de 2020 marca os 6 anos do desastre de uma parceria entre a Apple e a banda irlandesa U2. Na época, a gigante da tecnologia havia anunciado o iPhone 6 e o primeiro Apple Watch. Para marcar os lançamentos, a empresa “presenteou” mais de meio bilhão de usuários com o álbum “Songs Of Innocence”, do grupo musical, de forma gratuita. Mas a tentativa de ação de marketing resultou em vários problemas, que foram inclusive lembrados nesta quinta-feira, 17 de setembro, por outros sites da web.

A colaboração entre a banda e a empresa não deu muito certo: clientes alegavam que sua privacidade havia sido invadida com o álbum pré-carregado no iTunes. Além disso, fãs da banda que não tinham acesso à plataforma tiveram de esperar um mês para ter acesso às músicas. De qualquer forma, apenas na primeira semana de vendas dos dispositivos, 33 milhões de pessoas “experimentaram” o álbum.

publicidade

Reprodução

Banda irlandesa lançou álbum na plataforma exclusiva da Apple. Créditos: Todd Poirier/Pixabay

Sátiras

Para celebrar a data desastrosa, o site de sátiras The Hard Times (uma espécie de Sensacionalista) usou o nome da Neuralink, empresa do bilionário Elon Musk, que recentemente anunciou um implante que tocará música diretamente no cérebro do usuário. A publicação dizia que a Neuralink ofereceria o registro do U2 pré-carregado no Brain Chip como uma memória e não no Spotify – e ainda dizia que a informação havia sido confirmada pelo vocalista do U2.

O texto, inclusive, colocou a palavra de um especialista de música e tecnologia para reforçar o fato. Na matéria, Ted Malpitch diz que se o chip é perigoso por si só, pois poderá repassar pensamentos ao governo, quem dirá se esta premissa for associada a uma repetição de músicas da banda. “Faria qualquer um querer pular de um penhasco”.

Reprodução

Nome da empresa de Elon Musk foi usada para relembrar fracasso da Apple. Créditos: ApolitikNow/iStock

O texto ainda diz que talvez a Neurolink colocasse junto às músicas do U2, um discurso de 90 minutos do vocalista do grupo, Bono Vox, sobre mudanças climáticas. Já imaginou? E para finalizar com chave de ouro, o site diz que mesmo que o álbum seja excluído do implante, o sistema fará novamente o download das faixas automaticamente. Que pesadelo, hein?!

Exclusão do álbum

Na época, o “presente” irritou tantas pessoas que a Apple foi obrigada a criar um sistema exclusivo para deletar do álbum. O Olhar Digital explicou como fazer. Com a ferramenta, as faixas tão indesejadas desapareciam de todos os dispositivos conectados naquele ID.

A ideia da empresa pode ter sido um desastre, mas muitas pessoas ouviram o U2, de acordo com o Apple Insider, mesmo que por obrigação. E claro, hoje o caso rende risadas!