EnglishPortugueseSpanish

Embora não seja tão autônomo quanto o nome sugere, o sistema “AutoPilot” encontrado nos veículos da Tesla ajuda os motoristas no trânsito, sendo capaz de manter a distância entre outros veículos na via, trocar de faixa, auxiliar em ultrapassagens e até mesmo evitar colisões, seja com outros carros ou com pedestres.

Entretanto, ele não é perfeito. Prova disso foi um teste realizado por uma emissora de TV na China, para avaliar os sistemas de segurança de vários veículos disponíveis no país. Durante o teste um Tesla Model 3 foi incapaz de detectar um manequim representando um pedestre atravessando a rua à sua frente, e o atropelou sem hesitar.

publicidade

No Twitter o usuário @Stultus, que postou o vídeo acima, ironiza: “obviamente o supercomputador reconheceu que o manequim não era humano, e portanto não viu a necessidade de realizar uma manobra evasiva”.

Em outro vídeo, postado pelo mesmo usuário, podemos ver que outro Model 3 até indica um obstáculo (outro manequim) na tela interna, mas não a tempo de frear ou desviar. “A Tesla cobra US$ 8000 por direção autômoma completa, mas não consegue detectar pedestres na estrada”, afirma.

Totalmente autônomo em breve

Nesta quarta-feira (23), durante o evento Battery Day 2020, Musk anunciou o lançamento de uma versão beta do Autopilot com direção autônoma completa (FSD – Full Self Driving) para breve.

“É difícil determinar o progresso do Autopilot,” disse Musk. “Eu dirijo com uma versão alfa do Autopilot, então sei mais ou menos como ele está,” continuou. Recentemente, segundo Elon Musk, os engenheiros da Tesla fizeram avanços nos sistemas de categorização de vídeos em 3D e melhoraram a rede neural do veículo.

“Acredito que provavelmente lançaremos um beta privado do Autopilot – da versão final autônoma do piloto automático – em um mês, mais ou menos. E aí as pessoas vão entender a magnitude das mudanças,” afirmou o bilionário.

Fonte: Twitter