EnglishPortugueseSpanish

O Google confirmou nesta segunda-feira (28) mudanças em seus termos para desenvolvedores que tornam mais claro para os desenvolvedores quando são obrigados a usar o sistema de pagamentos do Google Play para a venda de itens dentro de seus apps. Além disso, afirmou que a próxima versão do Android terá medidas para facilitar o uso de lojas de apps de terceiros.

Segundo a empresa, quaisquer transações in-app, como assinaturas, compra de conteúdo adicional em jogos ou outros tipos de aquisições realizadas dentro dos apps devem ser feitas usando o sistema de pagamentos do Google, que recebe uma comissão de 30% sobre o valor da transação.

publicidade

A regra não é nova, mas era ignorada por alguns desenvolvedores. Segundo a Bloomberg, apps como o Netflix e o Spotify, além de desenvolvedores como a Match (responsável por apps como Tinder) e Epic (desenvolvedora de Fortnite), encontraram formas de driblar essas normas para não pagar os 30% ao Google.

Apenas 3% dos desenvolvedores com apps na Play Store venderam itens digitais nos últimos 12 meses, e desse total a grande maioria (quase 97%) já usa o sistema de pagamentos do Google, segundo a empresa. Para eles, nada muda. Para os que precisam adaptar seus apps, o Google irá dar um prazo de um ano (até 30 de setembro de 2021) para que façam a mudança.

O Google também anunciou que o Android 12 trará mudanças para tornar o uso de lojas de terceiros, como a F-Droid ou a Epic Games Store, nos dispositivos Android. O uso de lojas de terceiros sempre foi possível na plataforma, embora exija o relaxamento de algumas permissões para instalação de apps que podem ser explorados por desenvolvedores maliciosos.

O novo recurso será implementado tomando o cuidado de “não comprometer as medidas de segurança que já existem no Android”. Segundo a empresa, este recurso ainda está sendo projetado, e mais informações serão compartilhadas no futuro.

Fonte: Google