EnglishPortugueseSpanish

China entra na corrida à Lua – mais ou menos…

Redação 1 de outubro de 2020
publicidade

Os Estados Unidos já anunciaram seus planos de voltar a pisar em solo lunar, com sua missão Artemis. Se tudo correr como esperado, em 2024, devemos ter humanos pousando em nosso satélite natural mais uma vez. Até hoje, apenas os norte-americanos conseguira pisar na Lua. E a última vez que fizeram isso foi no já distante ano de 1972, com a Apollo 15. Caso o programa Artemis consiga mesmo cumprir seu cronograma, teremos, portanto, um intervalo de 52 anos entre um pouso e outro. 

Mas, se depender da disposição da China, os norte-americanos vão ganhar companhia e deixarão de ser os únicos a já ter pousado na Lua. O governo chinês revelou que está construindo um foguete para levar astronautas – ou taikonautas – como os chineses chamam seus astronautas – para a Lua. O anúncio foi feito durante a China Space Conference 2020.

publicidade

O futuro foguete já tem nome de batismo: 921. Ele será construído pela Academia Chinesa de Tecnologia em Veículos de Lançamento. Até aí, tudo certo. Porém, os próprios chineses admitem que há enormes obstáculos para uma missão tripulada do país à Lua. Um dos principais é o fato de que a China ainda não detém tecnologia de sobrevivência suficiente para manter a vida em níveis seguros no inóspito ambiente lunar. Até agora, os taikonautas se limitaram a viagens ao redor do nosso planeta. Talvez por isso, apesar do anúncio, o governo de Pequim não estipulou uma data para que tudo isso aconteça.