EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Laboratórios de análises clínicas da Europa, Ásia e América do Norte formaram um coletivo que terá como foco comparar as várias vacinas contra a Covid-19 que estão sendo desenvolvidas ao redor do mundo. A comparação centralizada possibilitará acelerar o processo de aprovação da dose, bem como selecionar o composto mais eficaz contra a doença. O grupo é o primeiro deste tipo a ser formado em resposta a uma pandemia.

“Comparar maçãs com maçãs”. Esta é a ideia do coletivo, segundo Melanie Saville, diretora de pesquisa e desenvolvimento de vacinas da Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI). “Como se as vacinas estivessem todas sendo testadas sob o mesmo teto”, acrescentou Melaine, que também ressaltou que a iniciativa deve minimizar o risco de variação nos resultados.

publicidade

 Reprodução

Objetivo do grupo de laboratórios é analisar vacinas contra a Covid-19 frente a frente. Créditos: Mongkolchon Akesin/Shutterstock

Atualmente, mais de 320 vacinas estão em andamento e, somar diferenças na coleta de dados e nos métodos de avaliação, pode causar vários problemas nos resultados finais, ainda de acordo com a cientista.

“Quando você começa (com o desenvolvimento de novas vacinas em potencial), especialmente com uma nova doença, todos desenvolvem seus próprios ensaios, todos usam protocolos e reagentes diferentes – então, enquanto você faz uma leitura, a capacidade de comparar entre diferentes candidatos é muito difícil”, explicou.

publicidade

Para entender a importância de um estudo centralizado, é preciso entender que, normalmente, a imunogenicidade de potenciais vacinas é testada em análises laboratoriais individuais. A avaliação tem o foco de verificar se os biomarcadores da resposta imune (como anticorpos e repostas de células T) são produzidos após ensaios clínicos em voluntários.

Mas há diferenças que norteiam a coleta das amostras, além de seu transporte e armazenamento. Estes aspectos podem trazer grandes alterações e afetar as comparações das vacinas. Com destaque ao grande número de imunizantes que estão sendo desenvolvidos no mundo contra a Covid-19 e as diferentes tecnologias utilizadas para cada uma delas, a avaliação padrão de seu verdadeiro potencial “torna-se muito complexa”, destaca Melaine.

Reprodução

Mais de 320 empresas buscam desenvolver vacina que seja mais eficaz contra a Covid-19. Créditos: Orpheus FX/Shutterstock

“Com centenas de vacinas de Covid-19 em desenvolvimento é essencial que tenhamos um sistema que possa avaliar e comparar de forma confiável a resposta imunológica de candidatos atualmente em teste”, disse ela, que também falou que uma central de testes poderia remover a “variabilidade interlaboratorial”, permitindo comparações diretas.

Espaço gratuito para testes

O coletivo afirma que todos os desenvolvedores de vacinas contra a Covid-19 têm espaço gratuito para os testes, utilizando um protocolo comum. Por hora, a CEPI verificará amostras de vacinas que estejam em estágio inicial e testes em humanos de primeiro e segundo estágio. Mas o grupo também tem como foco expandir a capacidade para coletas dados de testes que já estejam em fase final. Os resultados obtidos com as comprovações serão enviados de volta aos desenvolvedores das doses.

A CEPI será formada, inicialmente, por seis laboratórios, sendo eles do Canadá, Grã-Bretanha, Itália, Holanda, Bangladesh e Índia. Cabe frisar que o coletivo também é um dos financiadores de várias doses contra a doença, incluindo as elaboradas pelas empresas Moderna, AstraZeneca, Novavax NVAX.O e CureVac.

Fonte: Reuters