EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Uma mulher de aproximadamente 40 anos teve seu revestimento cerebral perfurado após fazer um teste de swab (cotonete) para a Covid-19, resultando em um vazamento de fluido pelo seu nariz. O caso aconteceu recentemente nos Estados Unidos e foi relatado nesta quinta-feira (1º) no periódico científico Jama Otolaryngology Head & Neck Surgery. 

A paciente apresentava uma condição rara não diagnosticada chamada encefalocele, que leva parte do cérebro a “escapar” por aberturas no crânio (neste caso, em direção ao nariz), deixando-o vulnerável a rupturas. Soma-se a isso a possibilidade de o exame ter sido realizado de forma inadequada. 

publicidade

A mulher foi submetida ao teste enquanto estava no hospital para uma cirurgia eletiva de hérnia, contou à agência de notícias AFP o médico responsável pelo relato, Jarrett Walsh, do Hospital Universitário de Iowa. Pouco tempo depois, ela notou um fluido claro saindo de seu nariz, e passou a se queixar de dores de cabeça, rigidez na nuca e sensibilidade à luz. 

Para Walsh, o caso evidencia que os profissionais de saúde devem ser cuidadosos e seguir à risca os protocolos dos testes. Ele acrescenta, ainda, que exames orais são mais recomendados para pessoas que já tenham passado por cirurgias na base do crânio ou nos seios da face.

publicidade

Anos atrás, a paciente em questão teve de operar para tratar um quadro de hipertensão intracraniana, que acontece quando a pressão do líquido cefalorraquidiano, responsável por proteger e nutrir o cérebro, é muito alta.

Reprodução

Haste flexível perfurou revestimento cerebral de paciente nos EUA. Imagem: Horth Rasur/Shutterstock

O especialista em ouvido, nariz e garganta Dennis Kraus, do Hospital Lenox Hill em Nova York, avaliou que a situação reforça a necessidade de treinamento adequado para aqueles que conduzem testes para Covid-19. Segundo ele, seria ideal se as autoridades de saúde estabelecessem um sistema de vigilância para acompanhar os pacientes após a realização dos mesmos. 

A perfuração do revestimento cerebral poderia ter causado uma infecção grave se uma bactéria subisse pelo nariz, explicam os médicos. Nesse caso, a paciente correria sérios riscos de morte. 

Por sorte, ela foi rapidamente submetida a uma cirurgia para reparar seu crânio e permaneceu no hospital para que suas funções neurológicas fossem monitoradas. Apesar do susto, a mulher já está completamente recuperada.    

Via: Medical Express