EnglishPortugueseSpanish

Começam em 2021 os testes com táxis voadores em Paris, de acordo com informações da agência de notícias France-Presse. A expectativa é que o funcionamento dos veículos seja demonstrado aos turistas durante os Jogos Olímpicos de 2024, que acontecerão na capital francesa.

Fabricado pela startup alemã Volocopter, o chamado VoloCity é totalmente elétrico e possui 18 rotores que o fazem lembrar um helicóptero. Além do piloto, o veículo suporta somente mais um passageiro com bagagens leves, como mochilas e pastas, e é capaz de voar por até 35 quilômetros a uma velocidade máxima de 110 km/h. 

publicidade

Reprodução

VoloCity, veículo voador elétrico que será testado a partir do próximo ano em Paris. Imagem: Divulgação/Volocopter

Os primeiros experimentos com o eVTOL (veículo voador elétrico para uso urbano) serão realizados no aeródromo Pontoise-Cormeilles-en-Vexin, cerca de noventa minutos ao norte de Paris. Os testes vão depender da aprovação dos residentes locais, de protocolos de segurança e regulamentos de tráfego aéreo, afirmaram as empresas envolvidas.

Implementação do VoloCity

Os sócios da Volocopter afirmam que “a perspectiva dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2024 oferece uma oportunidade excepcional de envolver toda uma indústria para tornar a região de Paris líder no mercado global de mobilidade aérea urbana”. 

Eles explicam que os preparativos para a criação de áreas de estacionamento, postos de recarga e marcações no terreno serão feitos no primeiro semestre de 2021. Já em junho, começam os testes de decolagem e pouso, bem como as operações técnicas envolvendo o veículo, sejam de manutenção ou recarga elétrica. Em relação ao último quesito, o VoloCity possui nove baterias responsáveis por seu funcionamento. 

Para viabilizar o projeto, a startup trabalha em conjunto com a operadora de aeroportos Groupe ADP, a agência de transporte público RATP e autoridades da região de Ile-de-France.

Em comunicado, as partes envolvidas afirmaram que “decidiram reunir todas as condições para que o surgimento deste modo de transporte seja possível em complemento dos modos existentes, quer sejam de pessoas ou mercadorias”.

De acordo com Catherine Guillouard, CEO da RATP, um dos critérios fundamentais para atingir esse objetivo é que o veículo seja silencioso, característica que pode ser aprimorada durante os testes. 

Ainda segundo Guillouard, o lançamento oficial não deve ocorrer antes de 2030. 

Via: Uol