A Nintendo vem movendo um processo desde maio contra a loja on-line ‘UberChips’ alegando pirataria. Agora, as duas partes parecem ter chegado a um acordo: ambas concordaram com o pagamento de US$ 2 milhões por danos ao fabricante. Parte do processo envolve a venda dos chips de jailbreak produzidos pelo ‘Team Xecuter’.

O acordo ainda não foi assinado pelo tribunal, mas exige que a loja destrua todo o estoque do acessório. O ‘hack’, que permite desbloquear o Nintendo Switch, funciona no Switch e no Switch Lite por meio dos chips ‘SX Core’ e ‘SX Lite’ – que, em teoria, funcionam em todos os modelos já lançados.

publicidade

“O Tribunal ordena, ainda, […] a apreensão e/ou apreensão e destruição de todos os dispositivos de fraude, todas as cópias do SX OS e todos os materiais eletrônicos ou dispositivos físicos sob custódia, posse ou controle dos réus”, diz a proposta publicada pelo site TorrentFreak.

Reprodução

Loja que vendia chips que desbloqueiam o Switch foi processada pela Nintendo. Imagem: Team Xecuter/Reprodução.

A UberChips está sob o controle de Tom Dilts Jr., de Ohio, nos Estados Unidos. A loja está sendo processada diretamente porque a Nintendo não conseguiu processar o ‘Team Xecuter’. Em 2018, o time conseguiu quebrar as proteções do Switch e lançou neste ano novas versões da ferramenta.

Por causa disso, a empresa passou a ir atrás das lojas que disponibilizam o produto para desbloqueio do Switch. Entre outros, o desbloqueio permite a instalação de jogos de fora da loja oficial da companhia.

Banido permantemente

No início do ano, o domínio ‘uberchips.com’ ficou fora do ar, embora o processo tenha continuado. Em junho, Dilts negou todas as acusações, por meio do seu advogado, durante uma sessão no tribunal. O empresário se encontrou com representantes da Nintendo nos bastidores para tentar chegar a um acordo, que chegou na quantia em dinheiro na casa dos milhões.

Com o acordo, além da indenização, Dilts fica permanentemente impedido de comercializar os chips do time que desbloqueou o Switch e semelhantes. No processo, ambas as partes deverão arcar com os próprios custos judiciais.

Ainda, o dono da UberChips não poderá mais manter o grupo da loja no Facebook ou em qualquer outra rede social. O domínio utilizado por ele também deve ser entregue para a Nintendo.

Sobre o mesmo caso, a Nintendo ainda processa outras oito lojas, mas ainda não encontrou seus respectivos donos. A empresa já é conhecida por não permitir que sua propriedade intelectual seja “explorada” por terceiros. No passado, a Nintendo já acabou com o ‘Mario Kart’ da vida real e tirou do ar remakes de ‘Metroid 2‘ e ‘Super Mario 64‘, ambos feitos por fãs.