EnglishPortugueseSpanish

Má notícia para quem aguarda ansiosamente o lançamento da Crew-1. A Nasa anunciou que a primeira missão operacional tripulada da cápsula Crew Dragon partirá em novembro, e não mais no dia 31 de outubro, como havia programado anteriormente. A mudança nos planos foi comunicada pela agência no último sábado (10). 

Segundo a Nasa, o adiamento vai proporcionar tempo adicional para que a SpaceX conclua análises e testes com o foguete Falcon 9, responsável por levar a Crew Dragon à órbita terrestre baixa. A agência explica que tem acesso a todos os dados operacionais do veículo, e que ele apresentou um comportamento “fora do normal” durante uma recente tentativa de lançamento.  

“Temos uma forte relação de trabalho com a nossa parceira SpaceX”, afirmou Kathy Lueders, representante da Diretoria de Exploração Humana e Missão de Operações da Nasa. “Como a empresa executa um elevado número de lançamentos, isso nos dá uma visão incrível deste sistema comercial e nos ajuda a tomar decisões informadas sobre o status de nossas missões”.

Reprodução

Missão Crew-1 levará três astronautas americanos e um japonês à ISS em meados de novembro. Imagem: Nasa

Lueders acrescenta que a falha nos motores do foguete está sendo analisada por equipes de ambas as organizações, e que a busca por informações detalhadas deve se estender pela próxima semana.

Este é o segundo adiamento da Crew-1, cujo lançamento estava agendado inicialmente para 23 de outubro. A missão levará quatro astronautas à Estação Espacial Internacional (ISS), consolidando a parceria comercial entre a Nasa e a SpaceX. 

A cápsula que será utilizada na missão foi entregue pela empresa de Elon Musk em agosto, e já está pronta para cumprir sua responsabilidade histórica: pela primeira vez, um veículo comercial americano levará uma tripulação internacional para uma missão da Nasa.

Os astronautas americanos Michael Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker, bem como o japonês Soichi Noguchi, foram os escolhidos para ocupar os assentos da espaçonave. Eles passarão seis meses conduzindo um estudo científico no laboratório orbital da ISS.

Uma segunda missão tripulada com a cápsula, a Crew-2, também já está nos planos, e deve partir com outros quatro astronautas em 2021.