EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O banco digital Nubank anunciou, na última quinta-feira (15), a liberação de cartões de débito físicos para contas em Pessoa Jurídica. A novidade já está disponível para ser acessada pelo seu aplicativo oficial da fintech.

Com o cartão, microempreendedores e donos de pequenas e médias empresas poderão utilizá-lo para realizar compras em lojas e também sacar dinheiro de suas contas por meio de caixas 24 Horas.

publicidade

A estratégia do banco visa atrair uma grande fatia do mercado brasileiro: as pequenas e médias empresas do país, que compõem a maioria dos CNPJ’s ativos no momento. É a primeira vez que o Nubank cria um cartão específico para este público, o que tende a ser um grande atrativo para empresários.

Reprodução

Cartão possui tom de roxo escuro e virá com nome da empresa. Foto: Divulgação/Nubank

Para David Vélez, fundador e presidente da fintech, o desejo do banco é dar ainda mais soluções práticas para empreendedores. “Desde o começo, nosso objetivo foi criar um produto em parceria com nossos clientes, disponibilizando funções que solucionem as maiores dores dos empreendedores. Essa era uma das funções mais requisitadas e ficamos muito felizes em poder proporcionar mais essa opção de pagamento a eles.”, afirmou.

publicidade

Busca pelo mercado de micro, pequenas e médias empresas 

O pacote de produtos voltados para o público de Pessoa Jurídica começou a ser desenvolvido em julho de 2019, com o lançamento da opção de abertura de conta corporativa pelo banco. Desde então, ele tem se destacado por ter ferramentas que facilitam o trabalho de empreendedores, como a emissão e recebimento de boletos bancários gratuitos.

A solicitação de um novo cartão é simples. Basta acessar a área de configurações do aplicativo do banco e selecionar a opção “Pedir função débito”. Em seguida, bastar preencher os dados requeridos no cadastro e a solicitação será efetivada. Bancos digitais como o Nubank vêm se estabelecendo como opções populares entre novos correntistas. O fato se deve principalmente a ausência de taxas para movimentação e a facilidade de acesso e criação de contas.

Fonte: Exame