EnglishPortugueseSpanish

A Nasa anunciou nesta terça-feira que a missão Mars 2020, que está levando o rover Perseverance e o helicóptero Ingenuity para Marte, já percorreu metade a distância até o planeta vermelho.

O marco foi atingido às 17h40 (horário de Brasília) desta terça-feira (27), quando a espaçonave estava a 235,4 milhões de quilômetros de nosso planeta. A missão foi lançada a bordo de um foguete Atlas V, a partir da base de Cabo Canaveral, na Flórida, em 30 de julho deste ano. A chegada à Marte está prevista para 18 de fevereiro de 2021.

publicidade

Devido à mecânica orbital a Perseverance segue uma trajetória curva até Marte, o que resulta em uma distância total maior do que em uma linha reta entre nós e o planeta. Entretanto, esta é a trajetória que permite a viagem com o menor consumo de conmbustível, e consequentemente menor peso da espaçonave e menor custo.

Até lá, a equipe de controle da missão tem muito trabalho na preparação. “Se algo é parte de nossa espaçonave e usa eletricidade, queremos confirmar que ainda está funcionando corretamente após o lançamento”, disse Keith Comeaux, engenheiro-chefe adjunto da missão Mars 2020.

“Entre essas verificações, que incluem o monitoramento da carga das baterias do rover e do Mars Helicopter, o upload de arquivos e sequências para operações de superfície e o planejamento e execução de manobras de correção de trajetória, estaremos bastante ocupados até o pouso”.

Reprodução

Rover Perseverance, sendo analisado por técnicos da Nasa antes do lançamento. Foto: Nasa

Em busca de vida

A principal missão da Perseverance é analisar seu local de pouso, a cratera Jezero, em busca de sinais de que ela abrigou vida no passado. Milhões de anos atrás ela era o Delta de um rio.

Além de realizar análises por conta própria, o Perseverance vai coletar amostras do solo marciano, que serão armazenadas em pequenos tubos e deixadas em locais específicos no planeta. Em 2026 uma nova missão, por enquanto chamada de Mars Sample Return Mission (Missão para Retorno de Amostras de Marte), pousará em Marte, coletará as amostras e as trará de volta à Terra.

O rover também testará novas tecnologias que vão facilitar futuras missões tripuladas, como um novo sistema de pouso com maior precisão, um helicóptero chamado Ingenuity para observação aérea do planeta e um instrumento chamado Moxie, que vai gerar oxigênio a partir do dióxido de carbono na atmosfera marciana. Uma versão em grande escala do Moxie, já em desenvolvimento, será uma peça crucial para a presença humana no planeta.

Fonte: Nasa